PUBLICIDADE fael 12.03

Esporte

Igor Galvão é 6° lugar geral em Campeonato Brasileiro de Skate Street Amador

Jovem conquistou posição sem apoio e sem patrocínio local e se prepara para trilhar o caminho profissional do esporte

Durante 06 e 08 de Abril, no Skate Plaza do Deck Sul, a Federação de Skate do Distrito Federal e Entorno - FSKTDF em parceria com a Confederação Brasileira de Skate – CBSK realizaram a Final do Brasileiro de Skate Street amador 2018, com o apoio do GDF através da Secretaria de Estado do Esporte,Turismo e Lazer de Brasília.
Esse tradicional evento do calendário nacional, além de ser uma vitrine revelando novos talentos, é a mais democrática competição das categorias de base do Skate Street do Brasil. Já que é a oportunidade perfeita para os melhores skatistas de todo Brasil, terem a chance de tornarem campeões brasileiros e conseguirem visibilidade em sua própria região e principalmente a nível nacional. As categorias em disputa serão: amador 1, amador 2, paraskate, iniciante, e mirim.
Igor Galvão, jovem santanense foi o sexto colocado da categoria Amador 2 e colocou o nome de Santana do Livramento em Destaque no esporte. Igor lamenta a falta de incentivos no esporte em Santana do Livramento e a falta de apoio da secretaria de esportes, mas, ainda assim, nunca desistiu do seu sonho. Para a mãe, Maria Ângela, o filho superou grandes desafios e com a ajuda apenas de dois empresários, um de Rivera e outro de Santa Maria, o jovem conseguiu as passagens até Brasília e se destacou no esporte levando o nome de Santana do Livramento.
Igor conta que a sua primeira vitória no skate aconteceu em Livramento. Semanas antes ele havia quebrado o braço e recebido uma advertência da mãe, Maria Ângela de que estava proibido de participar de competições ou mesmo de fazer o esporte, porém, mesmo com o braço quebrado, ele participou da competição e ao final precisou ligar para sua mãe pedindo ajuda para carregar todas as premiações, “ele me ligou pedindo para buscá-lo e ajuda-lo, pois eram tantos prêmios que ele não conseguia carregar sozinho”, disse a mãe. A partir deste momento, Ângela disse que passou a ver o esporte do filho com outros olhos. A mãe já acompanhou competições no Rio de Janeiro e hoje tem orgulho do filho se tornando sua maior incentivadora.
Sobre a participação em Brasília, a mãe está cheia de orgulho e deseja apenas que a Secretaria de Esportes veja o mesmo potencial em Igor e também em outros jovens da cidade. “Este esporte merece maios atenção. Temos muitos jovens que tem potencial e podem ir longe, assim como o meu filho, muitos outros precisam de apoio, patrocínio e um lugar adequado para a prática do esporte. É a chance do governo municipal fazer algo por eles”, disse.

Por: redacao@jornalaplateia.com - 14/04/2018 às 0:00

 

Deixe seu comentário