PUBLICIDADE fael 12.03

Editorial

Perigo sobre duas rodas

Livramento e Rivera começam o ano com a bruxa solta. São mais de dez acidentes de trânsito envolvendo principalmente carros e motos. Ao todo são quatro mortes só no mês de fevereiro.
No feriadão de Ano-Novo, ao menos 20 pessoas morreram em acidentes de trânsito nas estradas gaúchas.
Segundo a GZH, o veículo mais ágil de deslocamento no trânsito das metrópoles está se tornando também o mais arriscado. Segundo dados da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), dos 20 mortos em acidentes nas vias de Porto Alegre nos primeiros 74 dias do ano (até 15 de março de 2017), 12 eram motociclistas – condutores ou caroneiros (seis a cada 10 vítimas fatais).
Além de tirar a vida dos próprios ocupantes, as motocicletas também estiveram envolvidas na morte de outras quatro pessoas – dois terços do total de vítimas de atropelamentos fatais registrados neste ano na Capital. Incluindo na conta as mortes por atropelamento, o percentual de vítimas fatais em acidentes envolvendo motos sobe para 80% do total.
– O motociclista é o condutor mais vulnerável. E, em 95% dos casos, os acidentes são infrações que deram errado – afirma Carla Meinecke, diretora técnica de Operações da EPTC, que elenca entre as transgressões mais comuns e fatais o excesso de velocidade, a passagem no sinal vermelho, o consumo de álcool combinado à direção e a mudança de pista sem sinalização.
Em Livramento, as motos também se revelaram como os veículos mais envolvidos em acidentes, a prova disto foram os dois casos registrados só nesta quinta-feira. Algo está faltando além da conscientização.

Por: - 26/01/2018 às 0:00

 

Deixe seu comentário