PUBLICIDADE

Defesa

Com vibração, Tenente Coronel Muxfeldt recebe Comando do 7º do Coronel Carlos

Destaque para as presenças do General de Exército Muxfeldt, da reserva, do General Amaro, da 3ª Divisão de Exército, e do General Vendamin, da 3ª Brigada de Cavalaria Mecanizada

No final da tarde de quarta-feira (10), o Comando do Sétimo Regimento de Cavalaria Mecanizado (7º RC Mec) passou do Coronel Carlos Alexandre de Souza ao Tenente Coronel Rogério Arriaga Muxfeldt, em formatura realizada no Regimento Brigadeiro Vasco Alves Pereira, no Cerro do Depósito, em Sant’Ana do Livramento.
Antes da cerimônia no Pátio de Formaturas Tenente Coronel José Ricardo de Abreu Salgado, o descerramento da imagem do Coronel Carlos aconteceu na galeria de ex-comandantes, às 18h30. Às 19h, foi dado o início à solenidade de troca de comando no pátio.
À frente, no palanque das autoridades, a presença do General Amaro, da 3ª Divisão de Exército, do General Vendamin, da 3ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, e do General de Exército Virgílio Muxfeldt, da reserva e pai do atual Comandante do 7º RC Mec, Rogério Arriaga Muxfeldt.
Pronunciaram-se o agora ex-comandante Coronel Carlos, que fez seu último discurso e seu agradecimento (parte da mensagem pode ser conferida na página 19) e também o General Vendramin, Comandante da 3ª Brigada C Mec.
O General afirmou que o Coronel Carlos se mostrou um comandante altamente eficaz e dedicado na função que ocupou. “Atuou metodicamente para atingir os objetivos propostos pela Brigada”, destacou Vendramin.
Além disso comunicou que o Coronel exibiu seu conhecimento tático nos exercícios militares e foi um gestor competente que fez a manutenção, reparos e melhorias nas instalações do quartel.

Mensagem do Ex-Comandante Coronel Carlos Alexandre de Souza*

“Ao despedir-me do Comando do Sétimo Regimento de Cavalaria Mecanizado e também da nossa querida Sant’Ana do Livramento, um misto de sentimentos vem à tona: a satisfação de dever cumprido e a tristeza por deixar aqui tantos amigos. Um misto de orgulho e gratidão. Orgulho sim, não um orgulho egoísta de quem cultiva a falsa ilusão de que possa ter feito algo sozinho, mas sim o orgulho de quem confiou nas pessoas certas, de quem definitivamente teve amigos em quem confiar. Portanto, nesta última oportunidade em que faço uso da palavra como Comandante do 7º RC Mec, não vejo outra alternativa que não seja fazer desse momento um sincero agradecimento. Agradeço inicialmente a Deus por ter concedido a mim e a meus comandados a proteção e a saúde que nos acompanharam ao longo desses dois anos. Também aos amigos que me intuíram nos momentos de necessidade. Ao Comandante do Exército General Villas Bôas pela distinção ao confiar-me o comando de uma das mais tradicionais unidades do Exército Brasileiro. Aos generais de Divisão Cardoso e General de Divisão Amaro, sucessivos comandantes da 3ª Divisão de Exército pela atenção com que sempre distinguiram a mim e a meus comandados. Aos meus comandantes de Brigada, General de Brigada Hertz e General de Brigada Vendramin pela segurança nas orientações e pela permanente disponibilidade face às demandas por mim apresentadas, além da fidalguia e da camaradagem que sempre dedicaram a mim, minha família e a meus comandados. Aos demais comandantes das OM (Organizações Militares) orgânicas da 3ª Brigada de Cavalaria Mecanizada pelo profissionalismo e parceria, que proporcionaram um excelente ambiente que caracterizou a 3ª Brigada C Mec nesses dois anos. Agradeço aos integrantes dos poderes executivo, legislativo e judiciário da cidade de Sant’Ana do Livramento pela distinção e cordialidade em todas as oportunidades. Aos amigos dos órgãos de segurança pública, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Civil e Receita Federal pelo apoio e camaradagem que em muito transcenderam o campo institucional, resultando em sólida parceria que beneficia com certeza a toda nossa sociedade. Aos integrantes da imprensa pela responsabilidade no trato dos assuntos atinentes a este Regimento e ao Exército Brasileiro. Agradeço enfim a todos os amigos de Sant’Ana do Livramento e nossa cidade irmã Rivera. Aqui na Fronteira da Paz eu e minha família fomos recebidos de tal forma que pudemos nos sentir em casa, em uma cidade que até então nunca havia sido nossa e que a partir de agora jamais vai deixar de ser também nossa cidade. Aos amigos do Exército Uruguaio, em especial ao Coronel Silvio Ayala, comandante da Brigada de Cavalaria Número Uno, e ao Tenente Coronel Martinez, comandante do Regimento de Cavalaria Número Três pelo convívio fraterno e camarada, honrando as tradições de amizade e respeito que unem nossos exércitos. Aos integrantes do Sétimo de Cavalaria, com seu trabalho diário, muitas vezes anônimo, cada um de vocês possibilitou que minhas limitações individuais não se transformassem em obstáculos para que o Sétimo cumprisse sua missão da maneira como tem feito por mais de 100 anos. Um agradecimento especial ao Tenente Coronel Goulart, meu amigo e subcomandante, por ter aceito o convite para tão difícil quanto nobre missão. Sua lealdade, parceria e amizade fizeram com que a conhecida solidão do Comando se mostrasse mais branda ao longo desses dois anos. Aos integrantes do Estado Maior do Regimento pelo assessoramento oportuno, lealdade e amizade demonstrados em todos os momentos. A meus oficiais por terem sido a ponte entre o Comando e a tropa, de forma que a intenção deste Comandante fosse o ponto de partida para iniciativa em todos os escalões. Aos subtenentes e Sargentos, que de forma impecável souberam materializar a figura do elo que deve nos manter unidos como verdadeiro corpo de tropa. Aos cabos e soldados, que doam parte de sua juventude, na nobre missão de ser o sangue novo, que anualmente flui nas veias de nosso Exército”.

*Além do dito acima, Coronel Carlos também fez referência a sua família (esposa e filhos), a seus pais, seus irmãos e seus familiares.

Por: Marcel Neves - marcelneves@jornalaplateia.com - 12/01/2018 às 0:00

 

Deixe seu comentário