PUBLICIDADE

Polícia

Brigada Militar faz o Lançamento da Operação Papai Noel 2017

O envolvimento com a comunidade santanense foi ressaltado durante ato oficial

Nessa tarde de quarta-feira, dia 6 de dezembro, a Brigada Militar lançou uma de suas mais tradicionais ações no estado do Rio Grande do Sul junto à sociedade de Sant’Ana do Livramento, evento gerenciado pela Comandante do 1º Esqd/2º R P Mon, Cap. Karla de Moura Incerti, e prestigiado pelo Comissário Gabriel da Silva, da Direção Nacional de Trânsito da Polícia do Uruguai. O lançamento aconteceu no Parque Internacional.
Denominada de Operação Papai Noel da Brigada Militar, cujo objetivo é destinar reforço de policiamento para áreas comerciais, bem como, áreas de grande fluxo de pessoas, a capitã Karla destacou que esta ação não inviabiliza outras, mas sim, fortalece a ação frente à comunidade.

Objetivo da Operação Papai Noel.

O período de Natal é o período onde aumenta muito o movimento nas regiões comerciais e nas proximidades, justificando a Operação Papai Noel, pois é fundamental promover mais ações que visem garantir a segurança na cidade. Ações tanto do Estado quanto da população minimizam os atos dos delinquentes frente a grandes aglomerações. Durante o lançamento foi dito que a Brigada Militar buscará maximizar seus esforços com o intuito de proporcionar segurança frente ao centro administrativo local.

Palavra de abertura

“Nossas ações serão planejadas através de ações preventivas e ostensivas buscando proporcionar segurança à comunidade”. Na oportunidade a Capitão Karla de Moura Incerti ainda ressaltou seu agradecimento ao efetivo da Brigada pelo profissionalismo e empenho nas mais diversas missões que tem recebido durante este ano de 2017. A Capitã mencionou também os fatos acontecidos nos últimos 30 dias que demonstram a grandeza de cada policial militar que veste a sua farda, orgulhando em muito quem faz o trabalho junto e destacou: “Hoje iniciamos mais uma ação pontual, tendo as festas natalinas como eixo de nosso emprego. Contamos com o envolvimento da sociedade, pois atos contrários à normalidade e à civilidade não podem ser maiores que a sociedade organizada e constituída”. 

“atos contrários à normalidade e à civilidade não podem ser maiores que a sociedade organizada e constituída ”

 

Por: Elis Regina - elisregina@jornalaplateia.com - 07/12/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário