PUBLICIDADE

Especial Califórnia da Canção

Permisso Paysano!

A reportagem do Jornal A Plateia conversou com o cantor e compositor Ricardo Martins que possui mais de 30 anos de carreira na música regional. O músico falou sobre sua trajetória e o sucesso das músicas Diário de Um Fronteiriço e Romance de Um Peão Posteiro

Com a “guitarra” nas mãos e um sotaque de fronteira na voz, Ricardo Martins, 45 anos, sendo 30 deles dedicados à música regional é um dos autênticos representantes do nativismo. O músico santanense, que possui premiações de melhor instrumentista, arranjo e conjunto instrumental, além de premiações de 1º lugar em vários festivais nativistas, é apontando pelos amantes da música gaúcha como um dos melhores violonistas e arranjadores de todos os tempos.
Com mais de 150 prêmios em festivais e participações em diversos discos de artísticas gaúchos, Ricardo Martins, hoje, vive sossegado em uma chácara na localidade da Mangueira Colorada entre potros e milongas onde usa a tranquilidade do campo como inspiração para suas obras.

Início nos festivais 

O músico recebeu a reportagem do Jornal A Plateia nesta semana para relembrar as suas conquistas no palco sagrado da Califórnia da Canção Nativa. Ele conta que começou a tocar aos 15 anos, mas foi com o cantor Elton Saldanha que participou da Califórnia pela primeira vez. “No início participei dos festivais aqui de Livramento, como a Penca, onde ganhei meus primeiros prêmios de melhor instrumentista. Depois, mais tarde fui morar com o Elton Saldanha em Porto Alegre, aí começamos a tocar por vários lugares. Na 17ª Califórnia participei com ele, com a música Eu Sou do Sul e nós ganhamos o troféu de mais popular e desde lá se vão 30 anos de carreira” lembrou o músico.

Romance de Um Peão Posteiro

A milonga “Romance de Um Peão Posteiro” que virou sucesso nos bailes e fandangos, com letra de Adair de Freitas e música de Ricardo Martins a composição foi vencedora da linha campeira da 28ª edição da Califórnia da Canção Nativa no ano de 1998 e rendeu a premiação de melhor instrumentista e melhor arranjo, como relembra o músico. “Essa é uma parceria minha e do Adair de Freitas que foi muito premiada naquela edição do festival. Uma composição muito boa que foi regravada inúmeras vezes por muitos cantores. Hoje, ela se tornou um clássico, com certeza” comenta o cantor.

Diário de Um Fronteiriço

Considerada, hoje, como o segundo hino de Santana do Livramento, não há quem não saiba cantar pelo menos um trecho da composição “Diário de Um Fronteiriço”, letra e música de Erlon Péricles que foi composta para homenagear Ricardo Martins, como ele relembra. “A gente estava em Santa Maria produzindo o CD Bem de Bem, do Piriska Grecco, e lembro bem, o compadre Erlon chegou pra mim e disse que tinha feito uma música em minha homenagem e me mostrou ela ali mesmo. Me fez chorar de emoção. Aí ela passou primeiro no Ponche Verde, em Dom Pedrito, depois nós enviamos ela para a Califórnia.  Passou.Daí o Erlon perguntou se eu me animava cantar ela só voz e violão –respondi que sim. Chegou o dia da final e estava se armando um temporal e eu estava junto com a minha filha e eu disse para ela – agora eu vou fazer chover no palco também – (risos). E foi o que aconteceu, ganhamos a linha campeira, melhor instrumentista e melhor arranjo” relembrou o cantor.

De Tempo e Comparsa

A última premiação do músico na Califórnia da Canção Nativa foi na 36ª edição quando ele sagrou-se campeão da linha campeira e melhor conjunto instrumental com a música De Tempo e Comparsa com letra de Thiago e Guilherme Summan e música Ricardo Martins e Matheus Alves, com a interpretação de Fabrício Ocaña e Ricardo Martins. “Essa música tem uma curiosidade porque a gente colocou na percussão uma tesoura de esquila que deu um baita resultado na melodia” contou.

Projetos futuros 

Sobre o futuro na música, Ricardo Martins diz que seguirá participando dos festivais e se dedicando a projetos. Para 2018 ele promete um disco novo, instrumental, que foi gravado em parceria com o instrumentista Arthur Bonilla , que acabou falecendo em um acidente de trânsito antes da finalização do projeto. Além de um trabalho autoral com composições participantes de festivais. Sobre a vida de músico, Ricardo disse “Vamos seguir tocando e compondo, tem muita estrada pela frente”
A 40ª edição da Califórnia da Canção Nativa acontecerá no próximo final de semana na cidade de Uruguaiana e na próxima reportagem especial sobre o evento você vai conhecer os músicos santanenses que estarão participando dessa edição histórica. (Confira o vídeo das composições Diário de Um fronteiriço e Romance de Um Peão Posteiro na Página do facebook do Jornal A Plateia).

Por: Matias Moura - matiasmoura@jornalaplateia.com - 07/12/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário