PUBLICIDADE

Polícia

Dois assaltos mobilizam dezenas de policiais

Comando do 2º RPMon de Sant’Ana do Livramento se fez presente em ação policial, apoiando demais brigadianos durante desenrolar das ocorrências

Noite de segunda-feira e madrugada de terça movimentadas para a polícia em Sant’Ana do Livramento. Primeiro, um assalto a posto de combustíveis na avenida 24 de Maio. Depois, outro em comércio no Parque São José, região nordeste da cidade, entre os bairros Wilson e Tabatinga.
Foi no Parque São José que se ouviu disparos de arma de fogo em estabelecimento comercial próximo à capela Nossa Senhora Aparecida. Tiros dados pela chegada da Brigada Militar ao local; a dupla de meliantes acabou fugindo do lugar. Um policial foi baleado, mas de acordo com informações da Santa Casa de Misericórdia, o tiro teria atingido o brigadiano de raspão. Últimas notícias dão conta de que a bala perfurou o colete protetor, entretanto, este amorteceu o impacto e evitou que o projétil ficasse alojado no brigadiano, que é mantido em observação no hospital por precaução.
Em torno de 70 policiais se mobilizaram para a caça aos assaltantes, inclusive a Polícia Civil. O Subcomando da Brigada Militar em Sant’Ana do Livramento, na pessoa do Major Antônio Felipe Zinga Júnior, somou-se à ação, indo a campo.
“A gente tem que estar junto à tropa. Quando há um problema desses, o Comandante tem que estar junto à tropa. Acompanhamos do início ao fim da ocorrência, o desenrolar inclusive da questão do policial ferido, que havia sido alvejado. Acompanhamos a ocorrência do início ao fim para dar apoio ao pessoal como brigadianos que somos”, afirma o Major Antonio Felipe Zinga, Subcomandante do 2º Regimento de Polícia Montada (2º RPMon).

Polícia como alvo

Este foi o segundo caso em menos de uma semana em que policial acabou sendo atingido durante ocorrência em Sant’Ana do Livramento. Na madrugada de quinta-feira passada foi o Soldado Martins, do Pelotão de Operações Especiais da Brigada Militar (POE), que acabou sendo atingido no rosto por pedaço de concreto arremessado por indivíduo em meio às tentativas da Brigada Militar de acabar com tumulto gerado ao final das comemorações do título do Grêmio na Libertadores.
Nessa terça-feira, o Tenente Coronel José Nilo Corrêa Alves, comandante do CRPO-FO (Comando Regional de Policiamento Ostensivo da Fronteira Oeste), disse ao Jornal A Plateia que as estratégias do Comando não mudam mesmo com esses episódios. Em 2017 foram registrados cinco casos de policiais como vítimas na área de abrangência do CRPO-FO, que integra 22 municípios por meio do 2º Regimento de Polícia Montada (2º RPMon, de Sant’Ana do Livramento), 6º RPMon (Bagé), 1º Batalhão de Policiamento de Áreas em Fronteiras (1º BPAF, de Uruguaiana) e 2º BPAF, de São Borja. Dessas ocorrências, foram duas em Bagé e uma em Caçapava do Sul, região de abrangência do 6º RPMon, e mais as duas de Sant’Ana do Livramento.
“Nossas conversas com o efetivo que entra de serviço, as nossas orientações e até instruções são para que se adote o máximo de cuidado. Estamos sempre expostos, identificados pela farda e o marginal, o delinquente, muitas vezes não se identifica na hora e pode ter uma reação até surpreendendo o policial, o que não foram esses casos. Não altera nosso planejamento. Usamos como casos exemplificativos até para o pessoal ficar mais esperto, mas não altera em nada a estratégia (de atuação)”, salientou o Tenente Coronel Nilo.
A Polícia Civil prossegue com investigações para alcançar os assaltantes da madrugada de ontem, inclusive quem efetuou o disparo contra Soldado da Brigada Militar.

Menores presos não tinham nada a ver

Na mesma madrugada, por volta das 5h30 da madrugada, uma dupla de menores que circulava pela região central e teria abastecido sua moto cinza em um posto acabou sendo alcançada pela polícia. Suspeitos, até por perguntas que fizeram quando teriam abastecido em posto, eles foram denunciados e logo capturados pela Brigada. Ambos tem 17 anos de idade e foram detidos temporariamente na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).
Um dos adolescentes foi encaminhado a Dom Pedrito porque tinha mandado de busca e apreensão por roubo. O outro foi ouvido e encaminhado ao Ministério Público para representar por internação provisória. Ambos vão responder por tráfico de entorpecentes e porte de arma. Eles confessaram autoria de tentativa de homicídio ocorrida em 1º de dezembro em Dom Pedrito.

Por: redacao@jornalaplateia.com - 06/12/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário