PUBLICIDADE

Bem-estar

Meu filho está se desenvolvendo normalmente?

DNPMN – Desenvolvimento Neuropsicomotor Normal da Criança (0 a 12 meses)

Ocorre durante o primeiro ano de vida o desenvolvimento motor mais intenso da criança. Durante esta fase a criança aumenta a sua capacidade de realizar funções cada vez mais elaboradas e de modo voluntário, quando as funções mais primitivas vão sendo substituídas por funções mais complexas, e o processo de maturação se dá no sentido de domínio voluntário da cabeça para os pés e das regiões proximas para as mais distantes do corpo com controle de grandes movimentos a pequenos movimentos, ganhando equilíbrio, estabilidade em diversas posturas capacitando-se para o seu reconhecimento corporal, as descobertas das formas, diferentes texturas, sabores e a possibilidade de explorar um mundo novo.

Primeiro Trimestre (0 – 3 meses): Muito semelhante ao recém nascido. Inicia-se o alinhamento da cabeça e do corpo na linha média.
Postura em Supino (barriga para cima): Cabeça na linha média, mas não consegue mantê-la. No primeiro momento pratica chutes recíprocos bilaterais e os braços se movem, mas não alcançam a linha média. No segundo momento o bebê consegue levar as mãos na linha média, mas não agarra objetos com sucesso e o pescoço consegue tocar o queixo.
Postura em Prono (barriga para baixo): Começa a erguer a cabeça assimetricamente a 45° não conseguindo mantê-la na linha média no primeiro momento evoluindo para um maior controle nesta linha, junto com elevação de tronco.

Segundo Trimestre (4 – 6 meses): O bebê tem a sua simetria aumentada, inicia suas primeiras tentativas de deslocamento quando em prono. Vira a cabeça para os lados, toca os joelhos, cai para um dos lados e pode levantar as pernas. Em um segundo momento o bebê consegue, em prono, levantar a cabeça e mantê-la na linha média tocando o queixo e com o tórax elevado estende o braço para alcançar um objeto.
Consegue trazer os pés para as mãos, além de balançar de um lado para o outro podendo rolar.

Terceiro Trimestre (6 – 9 meses): Em primeiro momento o bebê na posição prono agora consegue manter-se com elevação de tronco e queixo tocando no peito com os braços esticados, faz flexão e extensão dos joelhos e brinca com os pés juntos, desloca o peso na lateral e arrasta-se para trás. A criança consegue manter-se mais tempo de lado e empurra com as pernas para estender-se, usando o movimento para brincar. Atinge a capacidade de sentar, que proporciona uma maior estabilidade dificultando a queda para frente, lados e por último para trás. Usa ambos os braços e pernas para fazer uma manobra de pivô usando os movimentos de braço, pernas e tronco quando quer ir atrás de um brinquedo. Faz a transição da posição sentada para de 4 apoios (engatinhar). Tentativas de levantar-se apoiado nos objetos numa posição de semi-ajoelhado até conseguir puxar-se para em pé e
apoiado nos objetos inicia a andar em torno dos móveis.

Quarto Trimestre (9 – 12 meses): Nova postura conquistada (em pé). A criança levanta-se, sendo capaz de abaixar-se da posição em pé segurando-se nos objetos. Quando segurado pelas mãos em pé, consegue aumentar a largura dos passos. Deste modo, a criança evolui obtendo maior independência e destreza para passar para em pé e praticar a marcha favorecendo ao aparecimento das curvaturas da coluna. 

E quando houver atraso no DNPM do meu filho?

A Fisioterapia e a Estimulação Precoce
A estimulação precoce faz parte de um bom tratamento fisioterápico quando falamos de crianças que possuem atraso no seu desenvolvimento neuropsicomotor. Geralmente este atraso ocorre por diversos fatores, como: Heranças genéticas, síndromes, prematuridade, paralisia cerebral, mielomeningocele, microcefalia, quando a criança explora pouco o ambiente, ou seja, permanece muito tempo no colo ou no carrinho, por exemplo.
Como é realizado o diagnóstico Fisioterapêutico deste atraso no DNPM da criança?
O diagnóstico deve ser realizado por um profissional fisioterapeuta que realizará uma avaliação criteriosa da criança em diferentes posturas e movimentos com funções de maneira voluntária (Ex: pegar um brinquedo com a mão). A partir disto, sendo relacionado com a história clínica da criança e sua idade cronológica é traçado um plano de tratamento a partir do marco motor que a criança apresentará ou não.
Como é realizado o tratamento Fisioterapêutico da criança com atraso no DNPM?
Através de sessões de fisioterapia, o profissional reorganizará a criança no espaço através de estímulos específicos para que a mesma consiga realizar de forma ativa suas tarefas. Se a mesma não consegue ainda executar tarefas próprias da idade, é um alerta aos pais para procurarem uma avaliação mais criteriosa do seu filho junto a um profissional habilitado para tal avaliação, para que a criança tenha seu pleno desenvolvimento e cresça de forma a integrar-se na vida da sua melhor forma.

Por: - 28/11/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário