PUBLICIDADE

Editorial

O crime e suas falsas informações

A morte de Johana, criança de apenas nove anos de idade foi uma grande tragédia aqui na Fronteira. Tristeza, dor, crueldade. Logo que o corpo foi revelado e um suspeito foi preso, a fronteira gritava e pedia justiça. O jornalismo tem papel importante em fatos como este na elucidação clara dos fatos, na veiculação de informações verdadeiras e vistas como fontes confiáveis no caso.
Ainda na tarde de quarta-feira (15), após a prisão, uma foto começou a circular nas redes sociais de um homem sendo apontado e acusado de ser o autor do crime. A foto rapidamente se espalhou, contudo, a informação era falsa e uma vida foi posta em perigo. Na contramão desse fato, a história de que um homem a cavalo teria sido visto com a criança também circulou nas redes sociais. O caso foi tratado por algumas mídias como sendo apenas uma fofoca ou “boato”, quando na verdade a história era real, inclusive, tal homem já teria prestado depoimento na Delegacia. Para reforçar ainda mais a importância de um jornalismo sério e de responsabilidade, baseado em informações; aquilo que para alguns foi considerado como boato acabou se confirmando como parte importante numa das maiores tragédias de 2017: o próprio homem a cavalo era o autor do crime, já declarado.
Jornalismo se faz com responsabilidade e é preciso ter cuidado com muita informação que se vê e se lê na internet. É preciso buscar fontes confiáveis, pois atualmente com a velocidade da internet o jornalismo tem procurado “furar” uma notícia, mas acaba repassando informações inverídicas. Paciência, pesquisa e ética ainda são palavras chaves para um jornalismo de responsabilidade, mesmo que ele venha alguns minutos depois.

Por: - 17/11/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário