De leve

CONSCIÊNCIA NEGRA

O respeito ao ser humano, a democracia e também as manifestações religiosas têm sido a marca registrada do governo municipal Ico e Mari. É impossível deixar de reconhecer isso. Digo isso pois estávamos acostumados com a truculência. Ontem, o Palácio Moises Viana foi palco da abertura da Semana da Consciência Negra.

SEMANA 

No mês em que se celebra o Dia Nacional da Consciência Negra, marcado pela morte de Zumbi dos Palmares, a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou uma campanha contra a violência de jovens negros no Brasil. A ação “Vidas Negras” escancara os dados sobre extermínio da população negra no país: sete em cada 10 pessoas assassinadas são negras; na faixa etária de 15 a 29 anos, são cinco vidas perdidas para a violência a cada duas horas.

SARAVÁ

Nos corredores do palácio Moysés Vianna na abertura da semana da consciência negra, pela primeira vez na história, um Secretário Municipal quase incorporou quando a prefeita em exercício Mari, a juíza Carine Labres e demais autoridades cantaram sob o som de tamborins e atabaques o hino da umbanda.

VIOLÊNCIA

Atualmente, um homem negro tem até 12 vezes mais chances de ser vítima de homicídio no Brasil que um não negro, segundo o Mapa da Violência. Além disso, uma pesquisa recente realizada pela Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) e pelo Senado Federal mostra que 56% da população brasileira concorda com a afirmação de que “a morte violenta de um jovem negro choca menos a sociedade do que a morte de um jovem branco.” 

TEMA

A ONU denominou essa semana de “Vidas Negras”, cuja campanha  tem como principal objetivo conscientizar a sociedade e o Estado sobre as consequências da discriminação racial. Para a ONU, o racismo é uma das principais causas históricas desta situação de violência e letalidade a que a população negra ainda está submetida.

CHORICEVA

Um verdadeiro e absoluto sucesso a 3ª edição do fetival da cerveja artesanal e do choripan que aconteceu no último sábado no Parque Internacional. Parabéns a todos os organizadores e envolvidos neste grande evento que realmente veio para ficar.

LIVRE PENSAR

“Ninguém nasce odiando outra pessoa por causa da cor da sua pele, ou sua origem, ou sua religião. As pessoas têm que aprender a odiar, e se elas podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o seu oposto. ” Nelson Mandela.

Por: dudapinto@terra.com.br - 14/11/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário

Outras Notícias

+ Notícias