Geral

Cavalo agoniza na Tabatinga

Proprietários alegam que o animal era bem cuidado e ficou doente de forma repentina

No último sábado, dia 11, a reportagem recebeu um chamado de moradores da Tabatinga, na Rua Ulisses Guimarães, próximo ao número 225, a respeito de um cavalo que estaria agonizando. O animal seria propriedade do filho da moradora Marta Gonzalez e, segundo ela, o problema de saúde do cavalo teria surgido inesperadamente.
A família precisou socorrer o filho em razão de um AVC e teriam deixado o cavalo no campo, ocorre que depois de dez dias, a moradora foi buscar o animal e o encontrou semimorto.
A família conta que não possui condições financeiras para levar o cavalo para um veterinário, mas garante que vem dando soro, água e comida para ao animal.
Questionada sobre os ferimentos no cavalo, Marta disse que também teriam surgido neste período de dez dias e que o cavalo não consegue ficar em pé por muito tempo. O cavalo é usado para puxar carroças e desenvolver outros trabalhos para a família e a moradora garante que o bicho era bem cuidado. A Brigada Militar teria sido chamada para atender o caso, mas a resposta teria sido negativa para a moradora.
Ainda no domingo pela manhã o cavalo estava atirado num pátio de uma casa aguardando socorro e sendo alimentado com milho e água pelos proprietários. Marta garante que tem feito tudo para salvar o cavalo, mas que precisa de ajuda para custear os medicamentos e avaliação veterinária.

Por: Elis Regina - elisregina@jornalaplateia.com - 14/11/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário