Geral

Vão-se os tachões e vem a pintura

Um dia após a polêmica gerada com o desfazimento da ciclovia, Secretaria de Trânsito inicia demarcação de estacionamento

A sexta-feira (10) começou tensa com o tema da ciclovia na Avenida João Pessoa. Enquanto os ciclistas eram pegos de surpresa com o desfazimento do local para dar espaço a estacionamento, o Secretário de Trânsito justificava, mais uma vez, o motivo para a repentina mudança.
Segundo Ricardo Dutra, a mudança de ciclovia para estacionamento vinha sendo discutida desde o início do ano e o local observado pelas autoridades de trânsito e integrantes do Conselho Municipal de Trânsito. O secretário argumentou que a ciclovia não era usada com grande frequência e nem mesmo com o propósito pelo qual foi criada. “O apelo do comércio é gritante” disse o secretário ao justificar a destinação da nova área como estacionamento.
Ainda dentre as explicações usadas, houve a de que a cidade não é apropriada para ter uma ciclovia devido o desnível do terreno e que as pessoais também não teriam o hábito de andar de bicicleta, “o pessoal anda só na periferia, aqui é muito pouco”, concluiu.
Perguntado sobre qual foi o instrumento utilizado para medir a eficiência da ciclovia, o secretário Ricardo confirmou que apenas a ‘observação’ foi o critério que ensejou a decisão unânime para a mudança, contudo, o secretário admitiu que houve falha na comunicação com a comunidade sobre o assunto e as mudanças feitas.
O debate
Na linha divisória o debate continua e até comerciantes dividiam opiniões entre manter ou retirar a ciclovia. Já os ciclistas que eram questionados sobre o assunto, todos, de forma unânime, se posicionavam contra a retirada da ciclovia. Para este sábado, 11, a partir das 17h vários ciclistas agendaram uma manifestação na Avenida João Pessoa para chamar a atenção da comunidade e autoridades sobre o assunto.
Cleia Ferreira, ciclista, inclusive apresentou fotos de vários passeios ciclísticos de um grupo de Livramento, percorrendo, inclusive, a Avenida João Pessoa.
Serviço rápido
Na quinta os tachões foram retirados e na sexta-feira pela manhã o local ganhava a nova pintura da secretaria de trânsito traçando os limites para o estacionamento. Já os cliclistas que passavam pela avenida desviavam dos carros estacionados na antiga rodovia ou seguiam pela calçada ou pelo canteiro da linha divisória.
O Conselho Municipal de Trânsito
O Conselho de Trânsito é formado por membros da ASSADEF, da UNAMUS, agentes de trânsito, membros do sindicato dos comerciários e da ACILe tem como presidente o titular do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Transporte, José Luiz Rubim. A reportagem procurou o presidente para comentar o assunto da ciclovia, Rubim disse que por meio de um estudo técnico apresentado pela secretaria de trânsito o conselho decidiu por unanimidade retirar, mas que foi imposta uma condição de que outra ciclovia fosse criada em outra localidade. A reunião acontece na segunda terça-feira do mês de outubro.
Vereadores denunciam o caso ao MP
A retirada da ciclovia da Linha Divisória foi denunciada pelos vereadores integrantes da bancadas do PSD e do PT na Câmara de Vereadores à Promotoria Especializada do Ministério Público em Livramento. Os vereadores Antônio Zenoir, do PSD, e Dagberto Reis, Aquiles Pires e Leandro Ferreira, do PT, acompanhados por André Kovalick, assessor do vereador Itacir Soares, conversaram na manhã dessa sexta-feira com o promotor Francisco Saldanha Lauestein, quando formalizaram denúncia.
Segundo Dagberto, na próxima segunda-feira o assunto também será levado ao conhecimento do Ministério Público Federal, considerando principalmente que a ciclovia estava prevista como exigência para a liberação do recurso do Orçamento da União. “É um retrocesso. Deveríamos pensar em criar cada vez mais espaços para o lazer e para a segurança da nossa comunidade, e não o contrário, destruindo o que já foi feito e jogando o dinheiro da comunidade no lixo”, opinou Dagberto Reis.

Por: redacao@jornalaplateia.com - 11/11/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário