Editorial

Aqui jaz...ou se reverte?

A ciclovia nasceu com uma emenda da ex-senadora Emília e foi justamente pela presença da ciclovia que o asfalto veio junto. Há anos o espaço era tema de debate sobre a utilidade, ou não, da ciclovia. Neste início de ano, o vereador Garrão chamou a atenção ao peticionar ao Executivo que a ciclovia fosse convertida em estacionamento, bom, depois de pouco debate, os tachões foram retirados e a ciclovia deixou de existir.
O trânsito alega a segurança dos próprios ciclistas para a transformação do local e afirma que o espaço era pouquíssimo usado. O Ministério das Cidades foi consultado e veio a liberação, contudo, os ciclistas santanenses não foram, sequer, informados da retirada e desfazimento do local. A ciclovia acabou e já na tarde de ontem muitos internautas se manifestavam pela internet contrariados com a decisão do executivo.
Meses antes uma decisão do Executivo envolvendo o trânsito também contrariou a comunidade santanense. A mudança de uma “parada” de ônibus da Rua Almirante Tamandaré para a Rua Conde de Porto Alegre gerou tanta insatisfação que o argumento de “desafogo do trânsito na frente do 300” não durou muito e a alteração de apenas três quadras foi revertida.
Será que a insatisfação dos ciclistas pela manutenção da ciclovia terá o poder de reverter a decisão e trazer os tachões de volta para o asfalto? Muitas perguntas e questionamentos interessantes sobre o caso se fazem na intimidade, mas será que se pode fazê-los em voz alta?

Por: - 10/11/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário