Editorial

O exemplo que poucos dão

 A saúde deveria ser preocupação principal em um governo. Além da saúde humana, a saúde animal. Em Livramento este é um dilema de anos que ganha força no debate, principalmente, nas redes sociais, mas que, para muitos, não parece levar tanta importância.
Não só em Livramento, mas muitos municípios dão pouca importância para tema. São poucos os municípios brasileiros que contam com políticas públicas voltadas para os animais. Rio de Janeiro e Porto Alegre são, até o momento, as únicas capitais onde há secretarias para lidar com o assunto. O Ceará também é um dos poucos estados que há pouco tempo implementou políticas públicas sérias voltadas para a questão animal.
Na fronteira, o voluntariado é responsável pelas únicas ações e cuidados com animais de rua, maus tratos e violência. A própria ação da polícia fica longe do trabalho dedicado de voluntários em atender casos de maus tratos. A impunidade e morosidade da Justiça acabam por alimentar esta rede de crimes e jogam nos ombros de poucos o fardo e a responsabilidade de distribuir amor.
O exemplo de voluntários, isolados ou associados, que passa por longe do apoio do Poder Público, reflete a situação de muitas demandas sociais e o sentimento de revolta e indignação que sobreviria é ocupado pelo amor e altruísmo dedicados a quem verdadeiramente importa, (a indiferença de alguns não merece a atenção dos que se importam) afinal, no Brasil, são poucos que dão o exemplo de como fazer certo. Voluntariado é, no final, um trabalho pago com amor. 

Por: - 08/11/2017 às 0:00

 

Deixe seu comentário