Jornal A Plateia - Livramento/RS. Notícia - Fronteira sedia II Jornada Binacional de Agroecologia

Pesquisar

 

Rural

Rural

Fronteira sedia II Jornada Binacional de Agroecologia

Paralelamente ao evento acontece o II Seminário Internacional sobre o desenvolvimento territorial do pampa

Sant’Ana do Livramento está realizando desde quarta-feira (4), a II Jornada Binacional de Agroecologia e o II Seminário Internacional sobre o desenvolvimento territorial do pampa. O evento é uma realização da UERGS (Universidade Estadual do Rio Grande do Sul), UDELAR (Universidade de La Republica Uruguay) e RAICES (Rede Socioambiental de Integração dos Campos do Extremo Sul). Já o Seminário Internacional tem como objetivo promover uma reflexão coletiva que estabeleça estratégias que contribuam para o desenvolvimento sustentável da região.
O evento, que encerra hoje, conta com a participação de estudantes de graduação e pós-graduação, profissionais de diversos segmentos incluindo pesquisadores, professores de instituições de ensino e pesquisa, além de representantes de empresas governamentais, gestores públicos, lideranças políticas, agricultores e organizações não governamentais vinculadas à área.
Entre os temas abordados durante o ciclo de palestras estiveram a construção do conhecimento agroecológico, povos e comunidades tradicionais do Pampa, soberania e segurança alimentar, desenvolvimento territorial, legislação ambiental, impactos dos agrotóxicos e transgênicos, mudanças agrárias, socioeconômicas e ambientais no Pampa.
As atividades do evento se concentram entre a Sala Cultural, e o Prédio do Campus da UERGS onde acontecem as palestras.

Programação de hoje

Sant’Ana do Livramento está realizando desde quarta-feira (4), a II Jornada Binacional de Agroecologia e o II Seminário Internacional sobre o desenvolvimento territorial do pampa. O evento é uma realização da UERGS (Universidade Estadual do Rio Grande do Sul), UDELAR (Universidade de La Republica Uruguay) e RAICES (Rede Socioambiental de Integração dos Campos do Extremo Sul). Já o Seminário Internacional tem como objetivo promover uma reflexão coletiva que estabeleça estratégias que contribuam para o desenvolvimento sustentável da região.
O evento, que encerra hoje, conta com a participação de estudantes de graduação e pós-graduação, profissionais de diversos segmentos incluindo pesquisadores, professores de instituições de ensino e pesquisa, além de representantes de empresas governamentais, gestores públicos, lideranças políticas, agricultores e organizações não governamentais vinculadas à área.
Entre os temas abordados durante o ciclo de palestras estiveram a construção do conhecimento agroecológico, povos e comunidades tradicionais do Pampa, soberania e segurança alimentar, desenvolvimento territorial, legislação ambiental, impactos dos agrotóxicos e transgênicos, mudanças agrárias, socioeconômicas e ambientais no Pampa.
As atividades do evento se concentram entre a Sala Cultural, e o Prédio do Campus da UERGS onde acontecem as palestras.

União entre os alunos

A aluna do curso de Agronomia da UERGS, Keli Camargo, disse que o evento foi criado há dois anos por meio do esforço coletivo dos alunos que tinham em mente criar um espaço para discutir o tema e trocar ideias. “A ideia surgiu através do Grupo da Pampa que é um grupo de alunos dentro da UERGS onde nós começamos a trabalhar essa questão da agroecologia e sustentabilidade e de como nós poderíamos demostrar isso para a comunidade. Porque a gente trabalha isso dentro da faculdade mas que havia uma necessidade de repassar essa ideia para mais pessoas” disse.
Segundo a aluna a ideia é que a jornada possa despertar nas pessoas a consciência de que é necessário produzir alimentos saudáveis sem o uso de agrotóxico, principalmente pelos danos causados na saúde humana e ao meio ambiente. “Nós, dois anos atrás, realizamos a primeira edição da jornada e graças ao seu sucesso foi realizada a segunda edição. O proposito deste evento é para fortificar os pequenos agricultores que são responsáveis por colocar o alimento em nossa mesa. E como nós estamos em uma fronteira nada melhor realizar um evento em parceria com o Uruguai que também tem boas iniciativas quando o assunto é agroecologia” comentou.

Agroecologia e soberania

Engenheira agrônoma, Dra Patrícia Silva, representando a Bionatur, Educar/Pronera/Universidade Federal da Fronteira Sul, foi um das palestrantes durante o evento, e em entrevista ao Jornal A Plateia, ela destacou que hoje mais do que nunca é necessário que sejam criadas políticas públicas com o foco na conscientização sobre este tema que é tão importante para toda a sociedade. “A agroecologia, tem como principal objetivo o redesenho dos agroecossistemas com base na sustentabilidade. Nada mais é do que a agricultura funcionando com base nos princípios agroecológicos. Já na questão científica a agroecologia já adentrou as universidades com muitos cursos espalhados por todo o Brasil” explicou.  A palestrante ainda disse que o Brasil é um país bastante avançado neste sentido, tendo muita experiência prática em nível de agricultores, trabalhos em ONGS e ações de movimentos populares. Este fato contribuiu, por exemplo, para que o tema chegasse às universidades. “Hoje nós temos a possibilidade de ter uma agricultura responsável do ponto de vista da sustentabilidade econômica, social e ambiental. Uma agricultura que não esteja só preocupada com a rentabilidade e com a produtividade, mas com a qualidade de vida” encerrou.

Por: Matias Moura - matiasmoura@jornalaplateia.com - 06/10/2017 às 9:55

 

Deixe seu comentário

Pesquisar