Bem-estar

Audição envelhece?

Com o passar dos anos a audição também sofre com o processo de envelhecimento.
Este processo recebe o nome de presbiacusia e geralmente ocorre a partir dos 60 anos. Desta forma a presbiacusia é considerada uma das causas mais comuns de perda auditiva na terceira idade.
A presbiacusia é um fenômeno de origem multifatorial, desta forma cada indivíduo apresenta variáveis metabólicas, hereditárias, histórico de exposição à ruídos, dentre outras circunstâncias que podem somar-se ao processo.
Normalmente a presbiacusia no idoso de início compromete o entendimento de sons agudos, sendo quase imperceptível nesse estágio.
Entretanto, à medida que avança a pessoa começa a ter dificuldades de audição e compreensão da fala, por isso é comum queixas de “Ouço, mas não entendo”.
Os sintomas mais comuns são: dificuldade para entender em ambientes ruidosos
sons agudos, como “s” ou “th”; vozes masculinas são mais fáceis de ouvir do que vozes femininas; presença de zumbido, em alguns casos.
Os sintomas da presbiacusia pode se confundir a outras condições ou problemas médicos.
Oriente-se com seu otorrinolaringologista se você apresentar algum destes sintomas.
Para o tratamento;
o idoso com dificuldades auditivas deve ser encaminhado ao otorrinolaringologista e ao fonoaudiólogo para avaliações que poderão indicar ou não, a necessidade de usar aparelhos  auditivos.
A primeira etapa é tratar todas as possíveis causas que estejam se somando ao processo de envelhecimento e acelerando, portanto, o declínio da função auditiva.
A reabilitação auditiva por meio de aparelhos auditivos de amplificação sonora, é medida efetiva e fundamental para a manutenção da função social do idoso e deve ser proposta precocemente durante o curso evolutivo da perda auditiva.

UMA DICA DE: Ainoã A. Macedo
Fonoaudióloga Clinica- UFMG
Mestre em Ciências Fonoaudiológicas-UFMG
Responsável Técnica Clinica Amplivox de Fonoaudiologia
Endereço: Rivadávia Corrêa, n° 890 sala 103 Sant’Ana do Livramento
Tel: 3242-4326
Celular: 99650-1017 (whats)

Por: Wáshington Pereira - 12/09/2017 às 10:22

 

Deixe seu comentário