Jornal A Plateia - Livramento/RS. Notícia - Santa Casa: médicos paralisados

Pesquisar

 

Política

Política

Santa Casa: médicos paralisados

Profissionais estão avaliando proposta feita pela direção do Hospital e atenderão somente urgências e emergências

A semana iniciou com uma preocupação a mais para área da saúde, em Sant’Ana do Livramento. Isso porque chegou ao fim o prazo para a Direção da Santa Casa de Misericórdia apresentar uma proposta efetiva de pagamento dos salários de outubro, novembro e dezembro de 2016 aos médicos.
O Hospital está há 9 meses e 12 dias sob a gestão da nova Administração Municipal e até o mês passado o assunto não havia entrado em pauta efetiva com a direção, mas uma coisa era certa: se o hospital não apresentasse uma proposta, os médicos garantiram que encerrariam os trabalhos através de sobreaviso e casos eletivos, mantendo apenas casos de urgência e emergência.
O início da paralisação se deu já nessa segunda-feira (11), os médicos atenderam apenas os casos que haviam previsto, caso não houvesse proposta por parte da instituição.

A proposta

Entre a tarde e à noite dessa segunda-feira, o diretor administrativo da Santa Casa  apresentou uma proposta: o pagamento de R$1,2 milhões em 20 vezes.
O tema foi recebido e levado à discussão ainda na tarde de ontem, em assembleia realizada pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), que informou ao jornal A Plateia, através da delegada regional Luciane Peixoto, que a classe médica está avaliando a proposta. Segundo ela, os profissionais devem discutir alguns pontos da proposta como, por exemplo, a carência para o início do pagamento das parcelas, bem como questões  estruturais da instituição. Os ajustes propostos pelos médicos devem ser apresentados ainda hoje (12) à Direção.

O que diz a direção do Hospital

A direção administrativa da Santa Casa de Misericórdia, emitiu uma nota no fim da tarde de ontem que tem como título “Não há dinheiro novo para pagar o passado”. Já no início do documento encaminhado, o diretor Wainer Machado destaca que sobre o movimento dos médicos que reivindicam o pagamento dos valores devidos de 3 meses de 2016, é justa. “Pois, quem trabalhou tem que receber. Pelo menos é o que se espera.  Ocorre que não temos um dinheiro novo para cobrir este passado”, explicou na nota.
Em seguida, a nota encaminhada por Wainer faz uma prestação de contas:  “Este ano, pagamos R$ 2.026.000,00 relativos a diversas pendências do ano passado e, deixamos de pagar R$ 1.979.000,00 de 2017, ou seja, se não tivéssemos essas dívidas, hoje estaríamos com os salários em dia e talvez com uma parte desta dívida já em pagamento”.

Santa Casa poderá fazer financiamento

O documento serviu também para que o diretor administrativo da Santa Casa de Misericórdia apresentasse a possibilidade de dois tipos de financiamentos para os hospitais filantrópicos, em que  a Santa Casa de Livramento está se preparando tecnicamente para acessá-los. “Primeiro temos que estar com o balanço de 2016 pronto e aprovado. Segundo, temos que ter nosso plano de ação para aplicação dos recursos e como vamos cumprir com a aplicação do dinheiro. É com estes recursos que queremos saldar as pendências com nossos credores, entre eles os funcionários,  médicos e prestadores de serviços, além de tributos federais e dívidas trabalhistas”, explicou no relato ao jornal A Plateia. E continuou. “Mesmo assim, com toda dificuldade, vamos apresentar uma proposta que seja possível de cumprir, vislumbrando um novo contrato com o Município e novas especialidades que possam agregar mais recursos e manter nosso hospital  aberto atendendo pelo SUS”, finalizou.

Por: Rodrigo Evaldt - rodrigo@jornalaplateia.com - 12/09/2017 às 10:14

 

Deixe seu comentário

Pesquisar