Jornal A Plateia - Livramento/RS. Notícia - Nova modalidade de transporte coletivo entra em discussão

Pesquisar

 

Política

Política

Nova modalidade de transporte coletivo entra em discussão

Vereador questiona se o Executivo quer ou não, dar autorização às novas linhas de micro-ônibus

Nessa quarta-feira (06), o vereador Carlos Nilo (PP) levantou na tribuna da Câmara de Vereadores o tema de uma reunião com o prefeito Ico Charopen (PDT), em que  estava presente  um empresário para apresentar a possibilidade de  implementar linhas de transporte coletivo novos na cidade - modalidade de micro-ônibus.
O parlamentar destacou que existe a lei municipal número 6.067/201, que dispõe sobre o Sistema de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana do Município, em que diz que o transporte público pode ser autorizado pelo Município para a exploração de uma linha nova, em caráter experimental, pelo prazo de seis meses, sempre que não houver estudo de viabilidade econômica antes estabelecido.  “O empresário só quer trabalhar, sendo que no início serão 52 empregos diretos e 5% da arrecadação destinados para a Santa Casa”, argumentou Nilo.
Procurado pela Reportagem, o secretário de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana, Ricardo Dutra, disse que já havia tratado do assunto com o parlamentar, no primeiro trimestre deste ano, e que estaria encaminhando à Secretaria de Planejamento como já fez com o projeto de licitação das linhas de transporte coletivo de todo o Município. “Qualquer serviço que possa vir ao encontro de melhorar a qualidade de transporte público deve interessar ao Executivo, a nossa missão é fazer com que seja o melhor atendimento possível dentro de um padrão econômico que a sociedade suporte. Aí vem outra questão: se estamos licitando uma linha de transporte de ônibus, precisamos ter critério e as empresas que vão participar, precisam saber quais são os outros sistemas que tem e que compete com eles. É necessário fazer uma análise de demanda para saber quem é que vai usar essas linhas, e isso depende das quantidades de usuários”, explicou.
Ainda de acordo com Dutra, quanto mais alternativas existirem, menos usuários estarão interessados nas linhas de transporte coletivo. “O planejamento tem estudado isso aí, até porque isso reflete na tarifa do transporte público, pois quanto menos pessoas usarem os ônibus, mais caro será o serviço, e é uma conta necessária. O prefeito já encaminhou à Procuradoria para saber se isso não vai atrapalhar a licitação. Ou, pelo menos, que se faça após a licitação, para que não haja interferência entre os assuntos. Temos que tratar o assunto de forma responsável, mesmo que seja em caráter experimental”, finalizou.

Por: Rodrigo Evaldt - rodrigo@jornalaplateia.com - 08/09/2017 às 10:22

 

Deixe seu comentário

Pesquisar