PUBLICIDADE

Editorial

Pela ordem, Excelência!

Um fato inusitado chamou a atenção na Câmara de Vereadores, na manhã de ontem. Embora esta seja a Casa do Povo, toda casa requer um pouco de respeito e, respeitadas as circunstâncias e contexto, há de se refletir sobre alguns fatos.
Embora a Assembléia Legislativa, no Município, seja um espaço democrático, ela precisa de ordem, e ela existe tanto para vereadores, para os funcionários e para o próprio público. Algumas situações são até compreendidas e já se viu muitos pedidos e manifestações na Casa do Povo, inclusive, uma “invasão do bem” quando santanenses questionaram o processo seletivo da Educação para o ano letivo de 2017. Já se viu aposentado pedir saúde, concursado pedir nomeação e político pedir a palavra, sendo não mais que justo ela ser a Casa do Povo. ‘Pela ordem, Excelência’ passou a ser um jargão mais formal do que o usual.
Alguns viram a cena de ontem e riram, não tinha como ter outra reação. Outros, não deram bola e alguns acharam o caso no mínimo inusitado: como um cidadão interrompe assim uma sessão da Câmara?  Foi diferente, assim como muita coisa em Livramento tem sido nas últimas semanas. O caso reflete também a informalidade e popularidade da Câmara de Vereadores de cidade do interior. Sem muita ‘frescura’ cada vereador achou um jeito de deixar o seu eleitor bem à vontade em cada porta de gabinete: “entre sem bater”, “porta aberta”, “Seja bem vindo”, “não bata, entre” e assim por diante seguem as mensagens para a pouca formalidade e simplicidade de quem sabe à quem pertence o patrimônio público.
Talvez por esta leveza e proximidade com o povo e também pela pouca formalidade exigida, situações como a que foi vista ontem pela manhã, com a invasão da Câmara por um indivíduo, causem mais motivos para risos e descontração do que para a rígida formalidade. A Casa do Povo é mesmo espaço para todas as manifestações.

Por: - 16/05/2017 às 10:00

 

Deixe seu comentário