Política

Município contabiliza prejuízo de mais de 300 mil reais na zona rural com as chuvas e prefeito decreta estado de calamidade pública

Segundo secretário de Agricultura, somente na região da Faxina, foram perdidos 150 anos com as cheias. Números ainda estão sendo contabilizados e prejuízos podem ser muito maiores

A chuva que castigou a fronteira há cerca de 10 dias, deixou um rastro de destruição tanto na cidade quanto na região da campanha. Os acumulados que em algumas localidades superam os 350mm, em apenas 3 dias,  e foram responsáveis por perdas que ainda estão sendo contabilizadas. Praticamente todas as regiões do município foram afetadas com o temporal, prejudicando, inclusive, o trabalho que vinha sendo realizado pela prefeitura na recuperação das estradas. Ouve registro de queda de pontes e rompimento de bueiros, bem como, transbordamento de arroios, córregos e sangas. Dentro deste quadro de calamidade, os maiores prejudicados foram os produtores de soja que tiveram que interromper a colheita, tendo sidoi colhida apenas 40% do total plantado no município. Foram registradas perdas também nas lavouras de arroz.  Segundo o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Carlos Reni Marinho, o maior prejuízo contabilizado, até agora, na zona rural, é na região da Faxina onde cerca de 150 animais morreram devido à enchente, ocasionando uma perda de mais 300 mil reais aos pecuaristas da região. “Nós ainda não temos dados de  todas as regiões, mas esta é a situação da região da faxina. Temos certeza que os prejuízos ainda são maiores, se formos contabilizar todas as regiões. O nosso trabalho de recuperação das estradas rurais teve que ser adiado, bem como, a colheita da soja. As regiões mais atingidas, foram Santa Rita, Pampeiro, Chircal , Coxilha Santo Inácio e Upamarotti . Mas isso não vai nos impedir de seguir o nosso cronograma de trabalho que já foi retomado “disse.

Prefeito decreta Situação de Emergência no município

Depois das fortes e intensas chuvas que assolaram Sant’Ana do Livramento, no domingo e segunda-feira (09 e 10 de abril), o Executivo Municipal se mobilizou para se apropriar da situação, por isso, o prefeito Ico Charopen decretou e publicou a Situação de Emergência nesta quinta-feira (20). Com a coordenação da vice-prefeita e secretária Geral de Governo, Mari Machado, as justificativas foram organizadas e o decreto formulado, nos últimos dias.
O documento autoriza a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a supervisão da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil, nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário e reconstrução.O decreto entra em vigor nesta quinta, 20 de abril, mas retroativo ao dia 10 de abril, e deve durar pelos próximos 180 dias.

Por: Matias Moura - redacao@jornalaplateia.com - 21/04/2017 às 12:24

 

Deixe seu comentário