Política

Nelson Cardoso recebe homenagem na Câmara

O gaiteiro dos canudos foi homenageado ontem na Câmara de Vereadores pelos seus mais de 60 anos de carreira. E na oportunidade agradeceu o carinho do povo santanense

A sessão da Câmara de Vereadores desta terça-feira(18), foi marcada pela justa homenagem que foi prestada a um dos mais autênticos representantes da música regional gaúcha, que possui 60 anos dedicados, exclusivamente, a arte e a lida de campo. Estamos nos referindo, ao gaiteiro dos canudos Nelson Cardoso que deixou seu nome gravado na história do povo fronteiriço, que lhe elegeu com um verdadeiro representante do gauchismo.
Uma homenagem para ficar marcada, não só na sua vida, mas também na memória do povo santanense que pode demostrar em vida o seu carinho e respeito pelo artista. O vereador proponente da homenagem, Ulberto Navarro (Garrão) destacou durante a sua fala a trajetória do gaiteiro que ao longo de sua carreira participou da criação do emblemático conjunto os “Vaqueanos”, além de gravar vários discos e participar de importantes festivais de música do nosso estado. Para ele, esta foi uma grande oportunidade de homenagem em vida este ilustre filho de Santana, bem como, valorizar os artistas desta terra. “Me sinto muito honrado de poder estar prestando esta homenagem a este grande ícone da nossa terra, cresci ouvindo as canções dele e,por isso, este dia se tornou mais especial ainda “, disse o vereador.

Acompanhado de seus familiares, amigos e admiradores, o gateiro de 76 anos de idade assistiu o andamento da sessão, até ser convidado para fazer parte da mesa. Em seguida teve oportunidade de usar a palavra e, com lágrimas nos olhos e a voz embargada, o velho gaiteiro que muitos bailes animou pelos galpões da fronteira agradeceu a homenagem e disse que é muito grato a sua terra natal, a qual sempre fez questão de levar nos “tentos” por onde andou. Outro grande momento da cerimônia foi quando o gaiteiro Marcelo Nunes entrou no plenário tocando a famosa milonga que embalou tantos romances “Chinoca Menina Flor “ e o vaneirão “Meu Vale Quatro“ que  já fez muita gente dançar nos fandangos  da fronteira .
Já o patrão do Fogão Negrinho do Pastoreio, entidade que faz parte da história de Nelson Cardoso, e um dos seus fundadores, Candido Roberto Soares disse que se sente horado de estar à frente da entidade, que foi praticamente idealizada pelo gaiteiro juntamente com seus companheiros e hoje segue mantendo viva a tradição gaúcha ao longo do tempo. Recentemente a entidade promoveu um festival em homenagem ao gaiteiro. “O Nelson é um esteio da nossa tradição, e pra nós do Negrinho é uma honra poder homenageá-lo em vida, sem dúvida nenhuma, ele contribuiu muito com a nossa cultura e seguirá contribuindo com certeza “, destacou. Ao final da homenagem, os vereadores foram convidados para tirar uma foto com o gaiteiro, e o público presente pode registrar o momento do artista.

Por: Matias Moura - redacao@jornalaplateia.com - 19/04/2017 às 9:20

 

Deixe seu comentário