PUBLICIDADE

TRANSMUNDO

Além do tempo

Apresentada em 2015 na Tailândia, nova geração da Nissan Frontier finalmente chega ao Brasil

Desde 2012, o segmento das picapes ganha um lançamento atrás do outro no Brasil. De uma hora para outra, as marcas perceberam o potencial de crescimento e apostaram alto na renovação de seus modelos – algumas até em projetos totalmente novos. Faltava a Nissan, que só agora colocou em jogo no Brasil a nova geração da Frontier. Novas tecnologias foram adotadas e um desenho que mistura traços de robustez e certa elegância marcam as principais inovações no modelo, que foi apresentado mundialmente na Tailândia em 2015 e desembarca agora no Brasil importado do México, apenas na versão de topo LE, por R$ 166.700.

A 12ª geração do utilitário chega ao mercado brasileiro com novo motor diesel 2.3 com duplo turbo, mas que rende os mesmos 190 cv e 45,9 kgfm do antigo 2.5 utilizado, que pesava 10 quilos a mais que o atual. Os turbos trabalham em regimes de rotação do motor diferentes: o de maior pressão atua junto com o de menor no arranque e age até a rotação estabilizar. Nesse ponto, ele se desliga e deixa o de menor pressão sustentar o propulsor em velocidade de cruzeiro. Este motor trabalha em conjunto com uma nova transmissão automática de sete velocidades, com modo sequencial para trocas manuais.
Os itens de segurança contemplam assistente de partida em subidas e descidas, sensor de estacionamento, luzes diurnas, faróis de leds, limitador de diferencial – que evita que as rodas patinem – e controles eletrônicos de estabilidade e de tração. De fábrica, a picape traz ainda sistema multimídia com Nissan Multi-App, que tem 2 GB de espaço para baixar aplicativos diretamente para o equipamento, além de banco do motorista com ajustes elétricos, ar-condicionado digital de duas zonas com saídas traseiras e chave presencial – “mimos” que aproximam o interior do utilitário com caçamba ao de um SUV.
Segundo a marca nipônica, a estrutura é mais resistente que a anterior, com chassi quatro vezes mais forte, mesmo mais leve e eficiente. A suspensão traseira, que antes era de feixe de molas, agora leva sistema multilink com molas helicoidais, que trabalha em conjunto com o eixo rígido. Na frente, segue braço duplo assistido por barra estabilizadora. O sistema de tração integral é acionado a partir de um comando no console central, abaixo dos comandos de climatização, à esquerda. Ali, é possível escolher entre o modo 4X2, 4X4 ou 4X4 com reduzida.  Externamente, a dianteira se destaca pela aparência “musculosa” ressaltada nas laterais mais altas do capô. A grade está alinhada à assinatura “V Motion”, adotada em todos os últimos lançamentos da Nissan, e com faróis em formato de bumerangue. A altura do interior cresceu quase 9 centímetros, o que beneficiou principalmente os passageiros de trás. Já os bancos dianteiros trazem aquecimento em dois níveis de intensidade. O painel de instrumentos traz tecnologia TFT semelhante ao dotado no SUV Kicks. Além de poder visualizar as informações do tacômetro, por meio dos comandos localizados no volante, o motorista navega entre nove telas disponíveis, que mostram funções como computador de bordo, configurações do sistema de áudio e detalhes sobre consumo de combustível.

Por: POR Márcio Maio - AUTO PRESS - 27/03/2017 às 10:09

 

Deixe seu comentário

Outras Notícias

+ Notícias