PUBLICIDADE

Exército

A consolidação da nova família militar

Exército Brasileiro abre suas portas para que familiares de recrutas visitem a Bateria, tenham contato com equipe de trabalho, ouçam comandante e tirem dúvidas

No dia 2 de março, 75 recrutas ingressaram na 2ª Bateria de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro, em Sant’Ana do Livramento. Desde o último domingo, 5 de março, estão em período de internato, que dura um mês. Neste domingo, receberão familiares, principalmente pais e mães ou seus responsáveis em tarde que também contará com palestra do Major Lobo Vianna, comandante da 2ª Bia AAAé.
Às 14h, está previsto o início da visitação. Os familiares poderão entrar nos alojamentos e conhecer a infraestrutura à disposição dos jovens, que passam a fazer parte das Forças Armadas do Brasil. Às 15h, a palestra do Comandante. A atividade é relacionada à incorporação do dia 2 de março. Os pais poderão, por exemplo, ver como é o alojamento, o local em que os recrutas dormem, o armário e banheiro que usam e o refeitório onde fazem as refeições.
Depois, a palestra com o Major Lobo Vianna: “No meio da visitação tem a palestra, na qual procuro estreitar laços com os parentes, com os pais, com os irmãos, com quem da família vier para visitação. É estreitar os laços, é ambientar, principalmente, os pais e responsáveis pelo que acontece aqui no quartel, o que está acontecendo com o soldado, o dia a dia dele, apresentar a equipe de instrução, os tenentes e os sargentos que estão diretamente envolvidos e com contato cerrado com os filhos desses pais responsáveis, bem como apresentar também problemas que ocorrem todos os anos para que os pais nos ajudem a minimizar esses problemas”, informou o Comandante.
A expectativa do Comandante Lobo Vianna é a melhor possível, como revelou para A Plateia: “É a melhor possível. Pela quantidade de parentes e convidados dos recrutas que vi na formatura de incorporação, acredito que o comparecimento dessa palestra será muito bom. Espero que tirem as dúvidas que, por ventura, ainda existem. E que saiam daqui satisfeitos. O grande objetivo é o pai sair daqui satisfeito, saber o que vai acontecer com o filho dele, as obrigações que o filho dele tem, o dever para com a Pátria, com o Exército, todos os regulamentos e leis que vão amparar o ano de serviço obrigatório de seu filho”.
Quanto à abertura da instituição para os familiares, no contexto da realização dessa atividade, que não é obrigatória para o Exército, o Major salientou: “Essa atividade não é obrigatória. É importante. Essa abertura de nossos portões é muito importante. É um objetivo que deve ser atingido para que minimize problemas, não só para o quartel, como para o militar. Isso até motiva mais os recrutas, a família estar ambientada com o que ele passa aqui dentro, com seus anseios e com suas dificuldades. Então vejo com muito bons olhos essa atividade”.

Por: Marcel Neves - marcelneves@jornalaplateia.com - 11/03/2017 às 10:37

 

Deixe seu comentário