Jornal A Plateia - Livramento/RS. Notícia - Um cuidado atemporal

Pesquisar

 

Editorial

Editorial

Um cuidado atemporal

Esta semana o Parque Internacional deu mais um grito de socorro e prontamente o governo municipal brasileiro socorreu com cortes de grama e limpeza do lixo acumulado de semanas. Porém, não é apenas de mês em mês ou ano em ano. O parque precisa de atenção dia a dia e de apoio da própria comunidade. Se cada um que passeia pelos corredores do parque evitasse em jogar uma garrafa, uma lata de refrigerante, um guardanapo ou qualquer lixo que fosse, muito se estaria ajudando. Uma manutenção de grama também viria a calhar e quem sabe um revezamento entre administrações desse um fôlego e uma parceria muito mais produtivo para um monumento que se tornou símbolo de um uma fronteira irmã.

Muito se pode dizer, falar e apregoar sobre como poderiam se dar os cuidados como Parque Internacional, contudo, cada um precisa olhar para dentro de si mesmo e perceber que o Parque que temos hoje reflete o nosso próprio espírito. Seja cuidado, abandono, indiferença ou luta, o Parque Internacional é apenas um reflexo do povo que o cerca e nossos valores se refletem no tamanho do cuidado que damos para ele.
A humanidade em toda a sua história é marcada e lembrada pelo legado que ela deixa. Quando a Fronteira recebeu o Parque, a simbologia e o legado eram bem definidos: amor, união, paz, harmonia e beleza. Hoje, para felicidades de uns e tristeza de outros (depende muito do olhar) o parque tornou-se sinônimo de mercantilismo, negócios, moradia e até abandono de pobres animais.

É hora de toda a Fronteira mudar este cenário e refletirmos preocupação. Vamos cuidar do nosso quintal e fazer deste espaço um local verdadeiramente visitado pela sua história e representação do povo gaúcho e uruguaio, da nossa Fronteira mais irmã do mundo.

Por: - 11/01/2017 às 9:42

 

Deixe seu comentário

Outras Notícias

+ Notícias
Pesquisar