Jornal A Plateia - Livramento/RS. Notícia - Enquanto uns padecem de sede, o governo toma sorvete

Pesquisar

 

Editorial

Editorial

Enquanto uns padecem de sede, o governo toma sorvete

De um lado, o discurso veemente e dedicado na defesa do corte dos gastos. Do outro, o “esquecimento” desta política para o seu próprio hábito e consumo. A incoerência de postura do Palácio do Planalto veio a público nesta terça-feira, quando vazou uma licitação de compra de alimentos de alto nível para o avião presidencial. Ora, a ideia talvez seja justamente esta: “estamos na crise, mas vamos comer bem”.
Imediatamente, a repercussão foi negativa. Sobretudo nas redes sociais, os internautas criticaram o abuso dos gastos para uma alimentação secundária e lamentaram que a equipe presidencial abusasse do luxo ao mesmo tempo em que prega o discurso da necessidade da contenção de gastos. A rejeição só cresceu e o presidente não teve alternativa senão cancelar a licitação e deixar um pouco de lado os altíssimos luxos bancados pelo poder público.

Nos noticiários a informação que acabou dando esclarecimento para a situação foi: “Ao todo, a licitação inicial previa um investimento de R$ 1,7 milhão. Ela seria realizada no dia 2 de janeiro e definiria a empresa responsável por abastecer o serviço de bordo do avião utilizado por Michel Temer e seus assessores em suas viagens. Estava prevista a compra, entre outras coisas, de cinco tipos de sorvetes diferentes e cinco sabores de picolé. Via Twitter, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, informou que houve uma orientação do presidente para que fosse cancelado o edital”.
O Brasileiro termina o ano dentro de uma tremenda crise e muitos brasileiros não tem nem ao menos água para beber e para as suas necessidades mais básicas.

No interior do Sergipe, famílias do centro da cidade se uniram para fretar caminhões pipa e levar de presente de Natal alguns litros de água para famílias carentes que há meses não viam uma gota sequer cair do céu ou passar pelos encanamentos já tomados pela poeira.
Uma outra crítica feita por internautas era que alguns produtos estavam sendo licitados com valor maior do que o apresentado no mercado. O pote de creme de avelã da Nutella, por exemplo, seria comprado por R$ 39,00 na embalagem de 250 gramas. Nas Lojas Americanas, uma das referências nesse tipo de compra, apresenta esse mesmo produto por R$ 20,87. Valores de fato ultrajantes e um tapa da cara trabalhador que ainda precisa gritar e espernear para evitar pagar este tipo de conta para os seus próprios governantes, de onde deveria partir o exemplo para a economia em tempo de crise. Mas, de repente, não mais que de repente, faltou ao presidente Temer serenidade para, assim como congelou os investimentos em educação e saúde por 20 anos, também congelar os gastos com as suas próprias regalias e não para por o sorvete no gongelador.

Por: - 29/12/2016 às 9:57

 

Deixe seu comentário

Pesquisar